Tesouros descobertos da Dinastia Ming

A imagem acima mostra uma imagem preto e branco do exterior do túmulo, com teto abobadado. (Foto: Chinese Cultural Relics)

Arqueólogos descobriram uma tumba da Dinastia Ming (1368–1644), em um canteiro de obras em Nanjing (China). Lá foram encontrados além do esqueleto, joias e dois epitáfios de pedra (inscrição sepulcral). Os epitáfios podem ser os verdadeiros tesouros, pois contam a história da pessoa enterrada.

A tumba de tijolos foi escavada em 2008 por arqueólogos do Museu Municipal de Nanjing e o Museu Jiangning distrital de Nanjing City. O relatório foi inicialmente publicado em chinês, na revista Wenwu, e foi traduzido em Inglês sendo publicado na mais recente edição da revista Chinese Cultural Relics.

A tumba de Lady Mei foi danificado por água, mas seus restos ósseos foram encontrados, bem como joias e os epitáfios contando sua história.

Lady Mei

Lady Mei, uma mulher que deixou de ser uma concubina para se tornar uma estrategista política e militar. Ela se tornou a mãe de um duque que governou a província no sudoeste da China. Lady Mei veio a exercer muito poder, fornecendo seu filho com “estratégias para trazer a paz para as tribos bárbaras e pacificar terras distantes”, de acordo com os epitáfios.

Esposa

Os pesquisadores dizem que Lady Mei foi uma das três esposas de Mu Bin, um duque de Qian, que governou Yunnan, uma província no sudoeste da China na fronteira do país. Nascida em 1430, ela provavelmente teria tido cerca de 15 anos de idade quando se casou com o duque, que teria sido mais de 30 anos mais velho que ela, dizem os pesquisadores.

Mas, enquanto Lady Mei era uma concubina, sua própria família parece ter tido alguma riqueza: Seu tataravô “Cheng” era um general que “venceu todas as batalhas” e a ele foi concedido um feudo com “1.000 famílias,” segundo os epitáfios.

A vida de Lady Mei mudou quando ela deu a luz o filho do duque, Mu Zong, que com 10 meses de idade, perdeu o pai. A recém-viúva Lady Mei “tinha apenas 21 anos de idade. Ela foi suja e despenteada, e chamou-se de sobrevivente”, (epitáfios).

Ela assumiu o comando da educação de Mu Zong, aliciando-o para ser o próximo duque. “Ela levantou o duque de terceira geração. Ela gerenciou a família com uma forte disciplina e diligência, e manteve os assuntos domésticos internos em grande forma, e ninguém tinha qualquer queixa,” (epitáfios).

Lady Mei “instou-o a estudar pesado nas manhãs e noites, e ensinou-lhe lealdade e devoção filial, bem como serviços de dever”.

Duquesa

Quando Mu Zong atingiu a maioridade, ele e Lady Mei viajaram para se reunir com o imperador, que o encarregou pelo controle de Yunnan, a província seu pai tinha governado. O imperador estava satisfeito com Lady Mei e, algum tempo depois da reunião, concedeu-lhe o título de “duquesa”, (epitáfios).

Como Mu Zong começou seu domínio sobre Yunnan, ele se baseou nos conselhos de sua mãe. “Toda manhã, quando o duque da terceira geração se levantava, depois de cuidar seus negócios como oficial, ele retornava para prestar respeito à Duquesa Viúva no salão principal,” (epitáfios).

“A Duquesa Viúva sempre conversava com o duque da terceira geração sobre sua lealdade ao imperador, sincera preocupação com as pessoas sobre o domínio do duque, estratégias para trazer a paz para as tribos bárbaras e pacificar terras distantes”.

A morte

Lady Mei morreu aos 45 anos em 1474. Os epitáfios dizem que ela faleceu de doença no sul de Yunnan e foi trazido para Nanjing para o enterro. “No dia da sua morte, o povo de Yunnan, militares ou civis, velhos e jovens, todos estavam tristes por ela como se seus próprios pais tivessem falecido,” conforme os epitáfios. “Quando o obituário chegou à corte imperial, o imperador mandou oficiais e ordenou-lhes que consagrassem e se preparassem para o funeral e sepultamento.”

Os epitáfios elogiaram seu papel na formação do jovem duque e preparando-o para as responsabilidades para governar Yunnan. “Usando o seu amor e seu trabalho duro, ela criou e educou a criança, e trouxe-o para ser um homem de habilidade e bom caráter moral…” (epitáfios).

Joias

Dentro da tumba os arqueólogos encontraram artefatos de ouro incrustado de pedras preciosas fantásticas. Os tesouros seus mais de 500 anos incluem pulseiras de ouro, uma caixa de ouro com fragrâncias e enfeites de cabelo de ouro incrustado com uma mistura de pedras preciosas, incluindo safiras, rubis e turquesa.

Esta imagem mostra um enfeite de cabelo de ouro em projeto da chama. O diâmetro do enfeite é de 11,2 centímetros. Ele possui seis safiras e seis rubis em sua camada exterior, além de um grande rubi no centro. (Foto: Chinese Cultural Relics)

A vista lateral do enfeite de cabelo. O pino em si tem 12,3 centímetros e o peso do artefato é de 115,4 gramas. (Foto: Chinese Cultural Relics)

Um par de pulseiras de ouro encontrada no túmulo. Ambos possuem cerca de 7 centímetros de diâmetro. As pulseiras têm desenhos de flores e as pedras preciosas são uma mistura de safiras, rubis e turquesas. (Foto: Chinese Cultural Relics)

Este enfeite de cabelo em ouro é decorado com uma mistura de safiras e rubis. O enfeite tem 14,2 centímetros de largura e o seu peso é 148,7 gramas. (Foto: Chinese Cultural Relics)

Uma caixa de fragrância com corrente de ouro. É decorado com pétalas de lótus e decorações sete caracteres escritos em sânscrito. As restantes gemas incluem quatro safiras, cinco rubis e uma turquesa. (Foto: Chinese Cultural Relics)

A enfeite de ouro na forma de um chrysanthemum (ou crisântemo: planta com tradição de cultivo milenar nos países asiáticos). Tem um grande rubi no centro e uma mistura de safiras e rubis menores em suas pétalas. O diâmetro mais largo é 11,7 centímetros. O peso total do artefato é de 218,2 gramas. (Foto: Chinese Cultural Relics)

Dois enfeites de ouro com ramos. O da esquerda tem três safiras, três rubis, um cristal e uma turquesa. O da direita tem duas safiras, quatro rubis e uma pedra olho de gato. (Foto: Chinese Cultural Relics)

Um enfeite em ouro com um design de lótus de sete pétalas. Uma grande pedra preciosa rubi ainda está preservada no centro. (Foto: Chinese Cultural Relics)

De: LiveScience

Gostou? Curta o post, avalie e deixe um comentário!!! =D
Divulgue o conhecimento nas redes sociais!

Anúncios

12 comentários sobre “Tesouros descobertos da Dinastia Ming

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s