Mistérios da Pirâmide de Quéops

A pirâmide de Quéops e a Esfinge, dois símbolos do Egito

A reconstrução tridimensional revelou suas medidas originais (100.000 vezes o número pi) e mostram que continha uma esfera de mais de dois metros no topo.

Os 10 anos de pesquisas do arquiteto catalão Miquel Pérez-Sánchez permitiram reconstruir com grande precisão a pirâmide de Quéops e determinar estava coroado por uma esfera de 2 metros. Pérez-Sánchez explicou na apresentação que “a análise da pirâmide mostra que era uma enciclopédia de conhecimento de seu tempo”. A Grande Pirâmide (foi a primeira das 7 Maravilhas do Mundo Antigo), o edifício mais importante do Antigo Reinado, sendo construída durante o reinado de Khufu (2.550 aC a 2.527 aC), o segundo faraó da Quarta Dinastia, a quem Heródoto chamado Quéops.

Hoje está desprovida de seus blocos de revestimento de calcário branco e seu cume perdeu 9 metros de altura, tornando-se agora “não sei a sua forma exata”, diz Pérez-Sánchez. A esfera no topo da pirâmide, diz o arquiteto, simbolizava o olho de Hórus e tinha o diâmetro de 2,7 metros, a qual simbolizava o olho de Hórus e indicava a distância proporcional do Sol em relação a Sirius, a estrela mais brilhante do céu.

A investigação do arquiteto, que tem contado com o apoio de uma equipe multidisciplinar, permitindo desenhar monumento com uma precisão de 4 decimal, representando “100 vezes a precisão usual”. O desenho tridimensional da Grande Pirâmide revelou suas medidas originais, analisar e compreender o significado histórico do monumento.

Conhecimento científico insuspeita

Perez-Sanchez explicou que, para além do campo da coroação, agora extinto, esta reconstrução permitiu conhecer “o ângulo de inclinação de 51,84º; a plataforma de apoio da esfera; o perímetro pi (π) côvados reais; e a altura do vértice da pirâmide, de 277.778 côvados reais, igual ao quociente da divisão de 1.000.000 por 3.600”.

Em sua opinião, a descoberta da forma e dimensões da Grande Pirâmide original, e sua reconstrução e análise revelou “uma arquitetura feita de pura matemática e geometria, geodésica e astronomia”.

A superfície original da pirâmide, hoje em ruínas, possuía 100.000 vezes o número pi (π). Os egípcios que idealizaram Quéops tinham conhecimentos científicos inusitado, entre os quais incluem o uso do Teorema de Pitágoras (dois milênios antes do renomado Pitágoras – 571 aC à 570 aC), precisão na definição do pi com 6 casas decimais (adiantando o conhecimento em três milênios), incluindo o descobrimento do número das medidas da Terra, do Sol e Sirius que se anteciparam em mais de 4 mil anos”.

Tumba e cenotáfio* comemorativo

A partir de dados astronômicos fornecidos por Plutarco, autorizados a colocar o monumento em seu contexto histórico: “Na Grande Pirâmide, o faraó Khufu, enquanto construiu sua tumba, construiu um memorial cenotáfio Millennium do Dilúvio em homenagem aos seus antepassados mortos”. Isto explica a razão pela qual Snefru, o pai de Khufu, construíra durante o seu reinado três pirâmides em busca da pirâmide perfeita: “Eu tive um encontro com a história e feito explica o esforço dos arquitetos da Khufu incluir na Grande Pirâmide os conhecimentos do passado “.

O arquiteto também observa em seu estudo que “a Grande Esfinge não é contemporânea, com as pirâmides que a cercam, seria de uma civilização anterior que esculpiram com forma de leão no oitavo milênio aC”.

* Cenotáfio: Monumento sepulcral erigido em memória de um morto sepultado em outro lugar

 

Fonte: lavozdegalicia.es / abc.es

Gostou? Curta o post, avalie e deixe um comentário!!! =D
Divulgue o conhecimento nas redes sociais!

Anúncios

4 comentários sobre “Mistérios da Pirâmide de Quéops

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s